Chegamos na Semana Santa!

Semana_Santa_2018

Chegou uma das semanas mais cheias de significados – a Semana Santa.

Para os cristãos, e de modo especial, para os católicos, a Semana Santa proporciona um rememorar e, ao mesmo tempo uma profunda Espiritualidade que preenche a interioridade do ser a partir do encontro com o Mistério Divino.

Cada simbologia, cada texto sagrado proclamado na Liturgia da Igreja, trás para o crente, não só um relato do que acontecera mais de dois mil anos atrás; mas, um colocar-se no caminho junto com todos os personagens bíblicos para se encontrar com o verdadeiro Deus em Cristo Jesus.

É uma semana em que se é convidado a estender um pouco mais o momento da oração, do recolhimento, a exemplo de quem para diante de uma flor e sem pressa se atém com todos os sentidos na interação e, neste encontro sairá com novos significados cravados no coração.

O desafio nos tempos atuais é talvez o de silenciar e deixar acontecer este encontro profundo, ao ponto de chegar a uma contemplação, a um êxtase. No entanto, se pelo menos tentar exercitar, poderá sim captar um pouco mais do Mistério Divino, do que apenas ficar numa superficialidade dos ritos. Em muitas das vezes, o participar destes Ritos Sagrados para muitos apenas vira uma tradição, e, chegam a se debater “nisto ou aquilo” relacionado a anos passados quanto a vestimenta, ao brilho, a decoração, entre outros; e, se esquecendo do essencial – o encontro com o Mistério Divino.

Claro que quando tudo está harmonizado, tudo esta sincronizado, talvez facilite para este encontro.

Mas, lembre-se o pássaro beija-flor, por mais rápido que voe, que bata suas asas, se aquieta diante da flor e ali procura extrair o néctar. Assim, cada assembléia reunida, cada pessoa a participar da Semana Santa é chamada a extrair o “néctar do Mistério Divino” para seu enriquecimento pessoal e comunitário.

Neste ano litúrgico no Brasil se destaca o ANO DO LAICATO.

O Leigo nos documentos da Igreja não significa a pessoa que nada sabe de sua fé. Pelo contrário, é o fiel que participa, que procura ser integrante ativo na comunidade de fé.

Então, nesta perspectiva o batizado é convidado a sair do estado de “assistir” um rito e, passar a ser também um agente participativo. Como os personagens bíblicos desta Semana Santa, todos de alguma forma foram participantes na Via Cruzes; cada cristão é convidado a ir ao encontro daquele que vem ao encontro da humanidade. “Ele esvaziou-se de si mesmo para se fazer um de nós e, na obediência entregou-se para nos salvar” (Fl 2, 6-11).

Nos tempos atuais as pessoas falam entre si, que o tempo está passando muito rápido.

Então, cuidado para não deixar a Semana Santa passar sem exercitar este encontro com o Mistério Divino. Pois, é desta semana rica de significado que o cristão preenche o seu ser para prosseguir a vida. A Páscoa só terá sentido e produzirá os frutos se seguir os passos do Mestre que leva ao Encontro com a Cruz – Sinal de Vitória.

A Campanha da Fraternidade deste ano trás um tema importantíssimo que está afligindo o povo brasileiro – a Violência.

O encontro com Jesus Cristo, morto e ressuscitado, é pertinente para questionar como a sociedade vem se organizando nos tempos atuais. A superação da Violência poderá ter seu alicerce junto a valores evangélicos que muitas das vezes está sendo ignorado pelo ser humano que na sua busca de uma ilusória liberdade, acaba escravizando-se a si próprio.

A Semana Santa não é uma semana fechada dentro dos templos, das igrejas, mas é um entrelaçamento do humano com o divino e o divino com o humano.

(Autor: Marcelo Telles – Bacharel em Teologia)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *